Modelos de Base Linear


Entre os mais significativos Modelos de Base Linear estão os de Lasswell, Shannon e Weaver e Schramm, pois “dissociam as funções do emissor e do receptor e apresentam a comunicação como sendo a transmissão de mensagens entre dois pontos e num único sentido” (Vaz - Freixo: 2006, p. 339).

Em 1948 Harold Lasswel publicou um trabalho onde dividia o fenómeno da comunicação em cinco partes fundamentais, representando cada uma das partes um elemento do modelo que veio a constituir-se num campo autónomo de estudos especializados.

Lasswell pretendia descrever o acto de comunicar de forma eficaz e prática propondo um modelo que responde às seguintes cinco questões:

Este processo de comunicação implica algumas premissas:                                                  
 a) Esses processos são assimétricos, com um emissor activo que produz um estímulo a uma massa passiva de destinatários que, ao ser atingida pelo estímulo, reage;
 b) A comunicação é intencional e tem por objectivo obter um determinado efeito. Os únicos efeitos que tal modelo torna pertinentes são os que podem ser observados, isto é, os que podem ser associados a uma modificação, a uma mudança de comportamentos, atitudes e opiniões.         
c) Os papéis do comunicador e destinatário surgem isolados, independentemente das relações culturais e sociais em que se realiza o acto comunicativo.


Exemplo:
Na educação verificamos, muitas vezes, uma grande semelhança e correspondência com esta realidade:
ü  O Professor- Quem? (Emissor)
ü  Conteúdos e objectivos- Diz o quê? (Mensagem)
ü  Linguagem ou outros suportes- Por que canal? (Meio)
ü  Alunos- A quem? (Recetores)
ü  Comportamentos, modificão/aquisição de novos conhecimentos- Com que efeito? (Efeito).
Após a elaboração de um trabalho de grupo e sua apresentação à turma, os papéis invertem-se:
ü  Emissor- Alunos
ü  Mensagem- trabalho sobre um determinado conteúdo
ü  Meio- diversos suportes
ü  Receptor- Professor e colegas
ü  Efeito- Aquisição de novos conhecimentos


Modelo linear de Shannon e Weaver
Enquanto Lasswell fundamentava o seu modelo de comunicação baseado nas cinco interrogações, Claude Shannon apresentava a sua teoria de que era possível “medir cientificamente a informação”, teoria, esta, que Warren Weaver alargou a outros campos que se exprimem num esquema linear composto por seis elementos.

        Segundo este modelo a fonte de informação elabora e envia a mensagem que chega ao transmissor, através de um canal, meio de transmissão à distância, que a transforma em sinal. Sinal esse que pode estar sujeito ao ruído, permitindo que o sinal recebido não seja o mesmo que foi emitido.
        O receptor recebe o sinal e torna-se transmissor devolvendo a mensagem ao destino que é o ponto de chegada da mensagem.
        O Modelo de Shannon e Weaver foi criticado por não ter em conta o papel do receptor, das redes de comunicação e a componente semântica da mensagem.
Este modelo utiliza recursos conceptuais como probabilidade e entropia e relaciona redundância e novidade para mesurar a quantidade de informação transmitida no sistema. VAZ FREIXO (2006, pp. 345- 346), refere que «a funcionalidade deste modelo reside no facto de permitir individualizar os factores que perturbam a transmissão de informação». Apoiada nas máquinas de comunicar saídas da guerra, a noção de informação, adquire o estatuto de símbolo calculável.
O Modelo de Shannon e Weaver foi criticado por não ter em conta o papel do receptor, das redes de comunicação, não reconhece o feedback e a componente semântica da mensagem.
Exemplo:
ü  O jornalista de rádio envia uma mensagem oral aos destinatários por meios analógicos.
ü  Esta mensagem é transformada pelo microfone e pelo transmissor de rádio numa onda electromagnética análoga à onda sonora (Sinal).
ü  O sinal pode estar sujeito a interferências (Ruído).
ü  Um receptor de rádio (doméstico) capta o sinal e converte-o, de novo, em ondas sonoras, isto é, converte a mensagem na forma original (se não houver ruído)
ü  A mensagem é captada pelo destinatário/ouvinte.

Este modelo, não sendo o ideal de modelo educativo apresenta vários benefícios no processo de ensino- aprendizagem, nomeadamente, ajudando à transmissão da mensagem, com elevada entropia, possibilitando a escolha de meios mais adequados para transmitir a informação, isto é, adaptar a mensagem para que os alunos a compreendam com facilidade.


(1)Baseado na Teoria Hipodérmica (período em que Hitler e Mussolini chegaram ao poder na Europa) e apoiado na Psicologia Behaviorista, em que uma mensagem, após recepcionada pelo público, é completamente absorvida, também conhecida como “Teoria da Bala Mágica.”

Sem comentários:

Enviar um comentário

Enviar um comentário